A mão da paz

a-mao-da-paz
a-mao-da-paz

O homem não tem nenhum estado próprio, mas nele há apenas aceitações ou rejeições de estados dos outros. Se uma pessoa não aceitasse estas condições, em si mesmo só está a criar as condiçõs apresentáveis. Estas estão todos cheios de agitação, e a aceitação é a única mão da paz.

As pessoas nos estados de representações facilmente podem amar e odiar, mas na verdade muito poucos se aceitam, porque para fazê-lo teriam de deixar o seu estado.

“Vaõ entender que me odiavam por nenhuma razão,”

… porque eu aceitei todas as condições e foi apenas a sua condição.

“Amai-vos uns aos outros, como eu vos amei,”

… Não vivam dos condições apresentáveis sem outros nas mãos de sua própria inquietação, que transformam o amor em ódio. Amem uns outros na aceitação da cada situação, porque em aceitar fica a graça de Deus, e em rejeição ficam espaços vazios, os que a mão do Senhor não alcança.

Crê no Senhor, pois tu és o amor dele.

O homem salva os seus estados com eventos que os está a colocar em seu tempo, com tudo ultrapassando o Senhor que no caso está a infundir o tempo – isto é o Seu amor.

Este é um mundo dos estados assumidos em si mesmo, dos quais surgiram a vida. O Senhor levou sobre si todos os estados e, assim, criou o mundo, e, finalmente, deixou o seu estado e criou o homem. Ele o criou à Sua própria imagem, como o ser sem seu próprio estado, que pode assumir em si todos os estados.

Jesus tinha a força e coragem para aceitar os estados, pois o seu não tinha, mas lentamente através do milênio se levanta de todas as outras quais com aceitação dos outros estã a abandonar a sua própria condição e tornam-se a mão da paz da graça do Senhor.

Como o olho não vê o olho, assim o homem não pode sair de seu próprio estado, enquanto alguém não se tornasse o estado dele – para que o olho pudesse ver o olho e compreender a própria capacidade de ser apresentado ou fingimento. Todos os estados são dos Deus – eles são apenas o teu abismo aparente na qual inquietação estás a cair sem motivo.


Se alguém é a fraqueza, está a fraqueza com ele.
Se alguém é o medo, está o medo com ele.
Se alguém é a tristeza, está a tristeza com ele …

Porque só das mãos de impotência aceitada, vai subir o poder,
Do medo aceitado a coragem,
Da tristeza aceitada a alegria.

O teu, o Seu, do Pai.

Comments are closed.