Preciosa consciência

Desconhecimento ou aquilo atrás de você e adormecido dentro de você é a fonte de todos os atributos da vida

Preciosa-consciencia
Preciosa consciência

Dentro de você dorme a mesma consciência como dentro de um cavalo, mas o cavalo tem também muito mais ingenuidade, medo, porque a consciência de um cavalo é presa em desconhecimento, a do homem em consciência.

Dentro de você dorme toda a natureza, você têm todas as qualidades da natureza e, quando você julga alguém, julga também os atributos que dormem em você. Com a separação de atributos, você constrói a sua identidade. Sem determinar algo, você apenas discretamente aceita tudo e em você acordará o estranho e o seu em estranho. Porque seu círculo é muito pequeno para você, mas está sempre certo para outro alguém. Com cada atitude sua, em relação a qualquer pessoa ou a qualquer coisa, você está o abrindo, o traduzindo para individual, fechando cada círculo.

Com não aceitação há abismos da solidão, onde as pessoas fingem serem as pessoas em frente de outros, mas atrás há só olhos estranhos.

Quando você aceita todos os atributos do universo como os seus próprios, você não enxerga a outra criatura como um estranho, tampouco um ser humano como um estrangeiro. Mais atributos você não consegue aceitar como seus próprios, mais você odeia outro homem com tais características.

Jesus assumiu todos os atributos, por isso que a base dele é sem pecado.

»Tiro os pecados do mundo«

Estou assumindo todos os pecados deste mundo.

Jesus cobriu todos os atributos e, assim como ele, você faça o mesmo e o estranho em você ou atrás de você vai desaparecer. Haverá apenas os amigos em inconsciência com você.

Começou o Tempo, o tempo mais belo – o tempo quando não tem mais eu ou você, mas com a aceitação de todos os atributos, tudo se torna um. Aquele que não será capaz disso vai dividir, dividir, dividir, dividir,… até desvincular-se do outro.

Um é divisor, o outro é multiplicador. Quem multiplica na consciência, divide na inconsciência e quem divide na inconsciência, multiplica na consciência. Quando o local da última divisão for preenchido, chegará a hora da última divisão.

A última divisão é a morte.

Enquanto a divisão e multiplicação estão juntas como um espaço no tempo e um tempo no espaço, tudo nasce: do inverno a primavera, da primavera ao verão, outono, inverno … e, novamente, a partir de inverno até o inverno viaja o mesmo ciclo de passagem. Tudo verdadeiramente dormi na divisão.

Quando a última divisão está coberta com o conhecimento, a multiplicação e a divisão se desacoplam. Quem é divisor está emparelhado com outro divisor e os dois se multiplicam por dentro. Quando o multiplicador está emparelhado com outro multiplicador, os dois estão divididos em eterno ciclo.

Cada divisão pela metade é, de fato, a multiplicação. A divisão tem que ser verdadeira e completa. (Está nem morno nem frio, vou lhe cuspir fora)

Tudo que se multiplicou, foi algo que não era – um todo aparente, por conta de algo que é. No tempo, que já tinha ocorrido, o mundo inteiro ficará sóbrio.

Embora a realidade já corra dentro da vida, o fluido aparente predomina. Há muito pouco respeito pela consciência dentro de homem para sua própria divisão.

Qualquer entendimento é uma reflexão da própria divisão. Alguém pode ter a dificuldade para se dividir, mas se divide. Quem tem dificuldade para se dividir, tem dificuldade para entender. Com a divisão flexível, os horizontes do homem se expandem – quem se divide generosamente (A mão esquerda não deve saber o que faz a mão direita), tem o horizonte aberto a 180 graus. Alguém outro se divide aparentemente.

Durante a última divisão, os processos de vida passam a estar nas mãos da determinada regra sobre divisão e multiplicação – agora estão nas mãos do homem.

Todo aparente não pode funcionar na realidade. Apenas divisão da base é real, essa condiciona um todo real ou a realidade do Senhor.

Cada forma manifestada tem o seu próprio molde no tempo, mas nenhum deles é perfeito, portanto tudo se derrama durante a passagem.

Suas palmas de mãos são o fuso do tempo, valiosas em sua própria consciência, porque só as suas palmas de mãos abrem moldes do tempo para os conteúdos de inconsciente e eterno. Cada consciência moldada está se perdendo em meio círculo, que está girando em vão. E molde para os conteúdos não existe…

O caminho da consciência a inconsciência de um homem é longo e cheio de medo, sonhos ingênuos, esperanças, desesperos, mas o pingo da consciência Nele é valioso, pois traz a confiança que um dia e em algum lugar o homem pisará nas planícies de consciência de tudo e perceberá que tudo é o mesmo, que sempre tem sido o mesmo e que não há razões para os limites do meu, o seu.