Seu passo é suficiente

Seu-passo-é-suficiente
Seu passo é suficiente

Um homem pode ir em paz de acordos do Senhor, teu passo no Senhor é suficiente para cobrir a vida.

Suficiente é o seu próprio peso, pois para vida não precisas do peso infinito.

Para viver permanentemente é suficiente o seu próprio peso, com qual podes pesar cada relacionamento. Todo mundo tem o seu próprio peso, a sua cobertura de acordo com Senhor. Se você desistir de seu próprio manifestação, não lhe tirarás nada, mas apenas vives a vida com peso total. Por outro lado, se nesta manifestação estás a procurar um peso infinito, vais perder a sua própria, e assim vais perder a sua cobertura no Senhor. Um homem que perdeu o seu próprio peso, está a procurar em pulso de outras pessoas o seu próprio, e apenas está a estabelecer a carga própria neste pulso de outras. Cada pulso da vida tem o seu antipulso.

Tome o peso dos seus olhos em si mesmo, a fim de ter a certeza de que vês. Tome o peso dos seus pensamento, a fim de entender. Tome a si mesmo a cada momento, porque não há nada que o teu peso não poderia pesar. Não confie em outros, porque eles não têm nada a ver contigo e com isso o que tens que pesar.

Assim como o homem tem um certo peso e pulso, o universo tem um pulso temporal que é proporcional aos diferentes comprimentos de onda. A vida é automaticamente correcta em tudo, mas a precisão é uma medida relativa, desalinhada em relação uns aos outros. Apenas o homem é uma medida correta que pode e deve tomar o peso em si mesmo, independentemente de a outra pessoa e, portanto, pela sua cobertura tem que medir a precisão do automático.

“Destruí este templo sobre os ombros de um outro, em três dias vou construir um novo com próprio peso.”

De acordo com Senhor, o homem é nascido com todo o peso da cobertura, mas mais responsabilidade por sua vida que está a transferir para outros humanos, continua a ter menos peso e poder de agir ou para cobertura da própria vida.

Tudo o que fazemos,  vontade própria vai para contra balanço – todo o mundo vai ser destruido pelo seu próprio contra balanço, e não balanço infinito. Assim que você defenda a sua cara, estás a quebrar a regra do Senhor e estimulas o anti-pulso da vida. Tudo o que fazes com seu próprio peso total, o Senhor abençoa com infinidade.

Um verdadeiro amigo é apenas um amigo com peso total – um amigo de tempo, caso, homem. Tudo que fazes, faz com todo o peso, porque a medida é determinada pela vida, e não o homem. Se o teu peso é insuficiente ou incompleto, estás a ativar o contrapeso onde vais afundar.

Tome próprio peso sobre si mesmo e vais pesar a sua vida.

A vida te vai voltar à vida. Tudo o que estás a olhar é a vida que espera o seu pulso. Tu também és nascido pulso do Senhor que está a dormir –  o pulso da vida que está a dormir.

A vida pulsa no Invisível, por isso não especules com visível porque com as suas próprias medidas em todas as coisas tornas-se estranho sem peso e eventualmente tornas-se um estranho para si mesmo.

O seu peso é suficiente, mas não o possuis para poder especular com o mesmo. Com especulações tornas-se um estranho a si mesmo e a tudo outro. Vai começar a alienação, porque será ativada anti-série de tudo o que tinhas pesado a seu favor sobre a escala da vida. Tudo em anti-série corre na distância, e quando usasses todo o seu peso, correria para a proximidade.

As pessoas não estão conscientes de que a vida pode fluir e em antipuls, também, porque até agora a vida tinha fluido a partir de uma distância ou de um impulso de outra pessoa. A vida não tinha fluido uniformentemente e, portanto, não tinha pulsado, mas era ser pesado na esquina de nascimento e morte – na esquina da 45°. Agora o pulso da vida fluirá exclusivamente a partir da própria cobertura ou simultaneamente com o condicionado. Ativado o pulso da vida, ao mesmo tempo move o anti-pulso.

A cruz deste mundo é a cruz da precisão distânciada – a cruz desteundo é a tua cruz – a cruz de tua medida no Senhor. Tome a cruz deste mundo para si mesmo e a carga vai cair … porque o seu passo no Senhor é suficiente para mover aquilo que é distanciado e para acordar o pulso da infinidade em ti mesmo.

 

Comments are closed.