Permanência do tempo

Permanência do tempo
Permanência do tempo


Quando o homem não seria limitado pelo tempo de sua vida,
parasse para o abismo de sua própria morte e não tivesse a força para se mover,
mesmo que vivasse para sempre.

Que o homem não está limitado no espaço com o tempo de outro,
não seja encontrado qualquer conteúdo
que o tivesse preenchido o vazio de seu mundo.

Tempo nele mesmo lhe fala com as palavras de morte
e remove camada por camada de inclinação da intemporalidade,
enquanto o homem vive para
preencher com os conteúdos as lacunas de um tempo dado.

Mas lacunas permanecem os mesmos
enquanto os seus abismo aumenta,
porque o tempo está se esgotando.

Apenas da morte se transbordam os conteúdos,
no resto do tempo da única proximidade valiosa.

Sempre eras apenas o tempo restante no caminho de aceitação da própria morte.